quarta-feira, abril 22, 2009

DIAGNÓSTICO



Por esta altura já devia estar a prepara-me afincadamente para o campeonato nacional de corridas de aventura que se realizará na segunda semana de Junho no Gerês, objectivo máximo desta época desportiva. Digo "devia", porque de facto não o tenho conseguido. Entre uma maldita epicondilite que dura há 2 meses e que me levou ao "estaleiro" da fisioterapia, a dores persistentes no joelho direito após os treinos de corrida e bicicleta, cumulados com uma desmotivação que só se explica por estar a ser afectado por estas maleitas ( a "lógica" da pescada com o rabo na boca) e também por um cansaço que não consigo explicar, estão a abalar os meus objectivos e... convicções!
Nada pelo qual já não tenha passado. Importante agora será recuperar o corpo, mas ( e sobretudo) a mente para os desafios que aí vem e aos quais não gosto ( nem posso) de virar as costas. Portanto..UP,UP,UP!

Diagnóstico:

Peso- 86,5 ( 4,5kg acima do normal)
Lesões - Braço esquerdo, joelho direito
Siuação pessoal/familiar- disponibilidade para treinar em horários alternados, mas limitado na participação de provas ao fim-de-semana.

Tratamento:

Dieta ( doces e o (bem)maldito tinto)
Fisioterapia e boa recuperação após exercício ( alongamentos)
Exercício: BTT ( primordial) com sessões gradualmente longas, pedestre ( a pé ou a correr), reforço muscular ( da musculatura do joelho, braços, tronco e sobretudo abdominal) canoagem e provas ( lá mais para meados de Maio) de orientação e/ou BTT e corrida de montanha.

Que é que vos parece? Aceito sugestões.

quarta-feira, abril 15, 2009

DE NOVO NO TRILHO



Um dos presentes que nunca esquecerei, foi uma pequena bússola que o meu irmão António me ofereceu quando eu era um jovem adolescente. Não foi o valor presente em si a causa desta permanente recordação, mas sim o seu significado acompanhado pelas seguintes palavras " para que nunca te percas...". 
De facto, já me senti "perdido" em muitas circunstâncias da vida, mas em todas soube tirar esta bússola ( que agora imagino, pois na verdade perdi o objecto) do bolso e (re)encontrar o trilho. Onde este me conduz, provavelmente nunca o saberei. Certo é, que há medida que o percorro tudo o que nele experimento faz hoje sentido.
Escrever sobre as minhas vivências na prática desportiva faz parte de tudo isto!

Quem gosta de aqui vir dar uma "espereitadela", prometo recuperar algumas das coisas que "vivi" mas não escrevi em 2008 e 2009.

Até breve.

Arquivo do blogue