sexta-feira, outubro 16, 2009

REGRESSO COM O TEJO EM FUNDO



FOTO: No final do MIUT no Machico e após mais de 25hrs de prova.

Eu sei que não há maneira de acabar o relato do MIUT, mas ando um bocadito preguiçoso....e pouco inspirado.

Finamente voltei a treinar corrida e BTT com a regularidade de um adrelinodependente ( sim pertenço à categoria dos tóxicoindependentes, porque este "material" não se compra a nenhum traficante) e portanto esta semana além dos treinos diários de natação anárquica, corri duas vezes e hoje pedalei pela primeira vez depois da aparatosa queda em Agosto. O que posso dizer? Que a maleita ou ainda cá está, ou então está o fantasma dela, porque ainda dói, sobretudo após os treinos ( e isto do pensar que dói quando não dói também acontece, buuuuu).
Certo, certo, é que ando "em baixo" com isto, não há maneira de voltar a ter aquela força, bem-estar e motivação de outrora.Depois, porque com isto perdi a primeira prova da época de corridas de aventura, ainda por cima quando esta até parece que está bem organizada com multiactividades quanto baste e etapas pedestres e de BTT durinhas em mais de 20hrs de prova ( voz embargada e aperto na peitaça enquando escrevo isto). Enfim, não há mal que sempre dure... e bem que não comece ( alterado ao provérbio original;-).
Uso a máxima do meu irmão, "Epá, treina que isso passa"! É o que parece...

Mais duas coisas, a primeira um forte abraço para os meus companheiros do CAB que vão estar em prova este fim-de-semana em Lamego, a segunda, pedalar na nova ciclovia à beira do Tejo entre Belém e Xabregas numa manhã soalheira de Outono é um prazer que gostava que experimentassem, não pelo treino em si ( o meu teve de ser esticado até ao Estádio Nacional e Monsanto para que rendesse), mas pela enorme beleza deste estuário iluminado com uma luz tão única como a que se nos oferece em Lisboa uma boa parte do ano.

Segue-se um interregno forçado e uma ida para sul onde espero encontrar uns trilhos porreiros para treinar.

Até breve.

quarta-feira, outubro 07, 2009

BACK TO BASICS



Depois de mais de um mês parado e alguns meses com limitações, hoje recebi ordem do médico para voltar a treinar.

Um regresso ao essencial!

terça-feira, outubro 06, 2009

Travessia da Baía de Sesimbra 2009



Interrompo o relato do MIUT para escrever umas linhas acerca da já mítica "Travessia da Baía de Sesimbra".

Mítica porque fez no dia 4 de Outubro 54 anos ( 1946) que se realizou a sua primeira edição com a participação de 22 atletas, 20 homens e 2(!)mulheres. Remonta portanto a uma época na qual as piscinas rareavam e as águas abertas seriam os espaços de treino de eleição, época de gente que aprendeu a nadar no Tejo ou nas praias por este país fora, época em que ver duas senhoras a nadar a este nível e esta distância ( 1500mts) era de facto uma "ousadia" deste género numa sociedade fortemente "masculinizada". Mítica ainda porque fica numa praia (para mim outrora), de rara beleza e forte cultura ligada ao mar e da qual guardo memórias felizes desde que me conheço.

Já fiz esta travessia algumas vezes não sabendo precisar quantas, mas é raro o ano em que não proponho à malta do CAB uma ida a Sesimbra. Quando fiz o convite, ainda estavam gravadas na minha memória as imagens do ano passado em que rimos do Velez porque não conseguia parar de tremer após a saída da água ( uma maldade claro está). Desta vez compareceu apenas a Esmeralda com a sua habitual determinação no dia do seu aniversário, formando assim equipa para enfrentarmos as habituais águas frias de Sesimbra entre mais 245 nadadores, dos quais 30% ( longe dos 5% de há 54 anos) eram senhoras de todas as idades.
Apesar de estar a nadar com alguma regularidade,tive dificuldades em me adaptar ao meio e ao esforço nos primeiros 500mts. Ia muito ofegante e implicava frequentemente com os óculos ora porque os achava embaciados, ora porque tinham gotas de água o que me obrigou a parar algumas vezes. As causas desta dificuldade em regular a respiração ( e talvez irritação), atribuo-a há falta de exercício nestes últimos tempos ( por lesão) e a uma consequente redução da capacidade cardiorespiratória. Juntando a isto, o facto de estar no pico das minhas crises de rinite frequentes nesta época do ano e que me fazem estar permanentemente a "soprar". Depois deste momento mais "trapalhão"lá consegui meter um ritmo regular de crawl esquecendo a minha técnica de costas especial pela falta da pinça para o nariz . Apesar de achar que este ano a corrente até à fortaleza era mais forte ( penso que o tempo dos primeiros explica um pouco isso) o tempo final até nem foi mau com 36m55s (a 16m do 1º classificado). Outro aspecto positivo, foi estar sempre acompanhado o que se torna motivador e não quebra o ritmo. Fazendo o balanço final, o desempenho ficou um pouco aquém das minhas expectativas pois pensava em tirar uns 4m ao tempo final(estou a nadar próximo de 1k=20m), no entanto, este foi um bom teste para os 3000mts da Travessia Batista Pereira já no próximo fim-de-semana, esta sim, uma distância de meter respeito...sem fato de neopreno e com correntes a sério!
Quanto há minha camarada fez uma bela prova atingindo o 3º lugar no seu "agegroups", duplos parabéns, pelo resultado e aniversário!
Um excelente dia desportivo rodeado paisagem, movimento, beleza e alegria.

Até breve com o que falta contar do MIUT.

Arquivo do blogue