domingo, dezembro 18, 2011

O PROMETIDO É DEVIDO

Está prometido, não me posso escapar da 2ª edição desta prova na Serra da Lousã. Um dos organizadores é meu colega e já há muito que me disse, " este ano não te escapas!", nem que faças aquilo a andar. Tinha-lhe prometido no ano passado, não fui, nem de gatas tinha condições de a fazer. As condições são as mesmas, de gatas ou a pé, o prometido é devido!
Não me assustam os 45km em floresta e os quase 4000mts de acumulado, antes pelo contrário, é o meu habitat de excelência (a Lousã é linda e eu adoro trepar montanhas). A distância e a dureza não fosse o facto de estar com 90kg(!) e sem treino, caia que nem uma luva.
Em Janeiro se fugir da neve que de vez em quando por ali cai no mês de Janeiro, não devo escapar-me da chuva e do frio, mas felizmente as recordações que tenho dos rigores climáticos já sofridos noutras circunstâncias e desafios superiores a este, são suficientes para ficar vacinado contra o que o dia nos oferecer, pode ser neve que a adoro ver cair e não encharca tanto, mas solinho, sempre!
Tenho 8 hrs de tempo limite para concluir o empreendimento, o que em princípio dará para fazer metade a correr, metade a andar ( de gatas não dá, definitivamente). Sim, porque condições para mais não tenho e a ver vamos...
Estou a correr praticamente uma vez por semana e não mais que 1h. Ontem perdi a vergonha e lá fui para o trabalho a correr atravessando uma Lisboa animada pelos turistas, sobretudo jovens, mas de espírito natalício tristonho, o que não é habitual nesta quadra. Em anos anteriores a cidade agitava-se pelo consumo, fervilhava de alegria, música, montras fartas de gulodices tradicionais, entre outros "fetiches". Enfeitava-se de luzes multicolores das avenidas novas à baixa, subindo o velho e bonito Chiado, um espetáculo nocturno imperdível aos olhos de quem vinha à capital. Mas este ano não, está nua, as lojas vazias, as pessoas cabisbaixas, ausentes. Não querendo ser pessimista, mas isto vai durar até lá para o Verão, altura em que a malta se estica na praia e esquece momentaneamente as agruras da "condição de se ser português".
O meu treino foram 12km de Belém à Penha de França, um terço deles a subir na Almirante Reis e a finalizar com uma rampa da Calçada do Poço dos Mouros. Uma noitada a trabalhar e hoje de manhã o retorno com a mesma distancia e percurso num dia que amanheceu frio mas radioso, com a beleza do Tejo prata em fundo e um Pastél de Belém para pequeno-almoço. Grande treino urbano!
Espero conseguir fazer um treinito durante esta semana, pois apesar das exigências da quadra e do muito trabalho, ainda assim estou mais livre que o habitual. Só tenho de evitar olhar-me nas montras, pois noto sempre a barriga proeminente e um correr arrastado o que  dá-me um ar pouco atlético e um bocado à "cromo". Percebo agora porque é que a malta mais fit que corre aqui no passeio marítimo de Belém, no alto dos seus Ipod´s, dos seus nikes e dos seus "bons nomes de família", não me passa cartão, é como se dissessem " o meu caro está um bocado, balofo para tão nobre actividade, não?! Que horror!".

Sem comentários:

Arquivo do blogue