quinta-feira, abril 02, 2015

NUMA LISBOA QUE AMANHECE


Depois de dois dias de uma "primavera quase verão" nos jardins serranos do maciço central, o regresso ao trabalho de bicicleta "numa Lisboa que amanhece(u)".
Destes trilhos naturais por onde andei nos últimos dias aos trilhos urbanos de Lisboa, só me ocorre uma frase: " eu nasci no país mais bonito do mundo!" 

PS - desculpem-me alguma imodéstia desta afirmação, mas não consigo sentir o meu país sem excesso ( o Fernando Pessoa disse o mesmo) e é por isso que repito cada vez que saio por ai do Algarve ao Minho, ali e além doTejo,entre as Beiras e por trás os montes, a ver o Douro desaguar no Zézere e o Mondego levar o Guadiana a ver o mar:  o meu país é o mais bonito do mundo (!), porque além de ser meu, é também o mais bonito! ;-)

O sol nasceu em Lisboa hoje às 7h17m.

2 comentários:

Jorge Branco disse...

Estou de acordo!
E amo as madrugadas da minha cidade natal, Lisboa.
Abraço.

Zen disse...

Abraço Jorge!

As madrugadas, as tardes, as noites...

Arquivo do blogue