quarta-feira, fevereiro 09, 2011

A(S) DOR(ES)



Acordo de manhã com dores nas costas, passo o dia com dores nas costas, deito-me com dores nas costas. Quando vou correr ou nadar também me dói as costas e se estou durante mais de 2 hrs em cima da bicicleta também. Em pé não consigo estar mais de 10m e e sentado aqui no trabalho é uma tortura. É assim há muitos anos, mas não como nos últimos dois.
Sugerem-me especialistas, tratamentos, operações... Não sei, já não sei, tudo o que fiz até agora parece-me ter sido em vão e a minha "fé" no serviço médico português ( não conheço outro embora me afiancem que há gente mais competente sobretudo a norte da Europa) tem descido ao longo dos anos ao ponto de me tornar permanentemente desconfiado cada vez que vejo uma bata branca.
Hoje, desesperado, pedi mais uma vez a opinião dos meus colegas que vivem, ou viveram experiências semelhantes. Notícias contraditórias, uns ficaram assim-assim, outros pior, outros tem o mesmo horror que eu às "batas brancas". Fiquei na mesma e a indecisão entre a fisioterapia e a neurocirurgia ou nenhuma delas aumentou, como a dor...
Certo, certo é que ( e ainda hoje o disse a um amigo) nem no pior momento da minha vida há uns anos atrás me senti tão desmotivado. Aliás as corridas e as pedaladas que fazia nas matas ou a natação em águas livres que fazia na Lagoa de Albufeira foram melhores terapias do que qualquer que encontraria portas a dentro de um consultório. Mas agora é diferente... o interruptor parece ter-se desligado "apagando" muito da força de vontade. Mas será só a dor nas costas? Continuo na(s) duvida(s)...

9 comentários:

Anónimo disse...

Caro Amigo Zen
1 passo de cada vez! Talvez tenhamos todos (eu pessoalmente tenho) a tendência de querer abarcar muita coisa em apenas um instante.
De querer o binário zero ou um para explicar (nos explicar) a razão e a fonte da dor persistente e da desmotivação.
talvez não sejam só as dores, mas ultrapassar o momento, só passo a passo, olhando sobretudo para a árvore ali à frente, com a floresta presente no imaginário.
são apenas palavras, mas se puder ajudar doutra forma, cá estou.
Quanto ao resto, és um lutador, portanto por aí creio que estamos entendidos, o resto melhorará com o tempo.
Forte abraço
até breve
AB - Tartaruga

Zen disse...

Olá António

Belas, certeiras e inspiradoras palavras, fiquei mais forte, obrigado pela amizade.

Sim, forte abraço também para ti camarada.

Até breve.

Carlos Lopes disse...

Olá Zen

desejo as melhoras, tambem por este lado a minha lesão não quer largar...

força e um abraço

Anónimo disse...

Caro Amigo
Apenas posso contar a minha aventura, fez 2 anos em janeiro que fui operado a uma hernia discal na lombar l5/s1 de urgencia,já a tinha á 10anos umas vezes com mais dores outras com menos sempre fui andando nunca deixei de correr a pé apesar do medico avisar para nao fazer até que em janeiro 2009 tive uma crise enorme que me levou por 3 vezes as urgencias do curry cabral e que um dia o medico me disse tem ser operado hoje fiquei um pouco baralhado mas teve que ser e posso dizer que correu bem tive 4 meses recuperaçao c/fisioterapia e passado 1 ano estava a fazer triatlo so tenho a dizer bem da equipa medica. Um Abraço

Zen disse...

Sugiro-lhe as palavras escritas aqui pelo António Bento.
Já deves ter ouvido, mas serve de reflexão: "o caminho faz-se caminhando". Obrigado e as melhoras. Abraço.

Amigo "Anónimo"

Não deixa de me mostrar a "luz ao fundo do túnel" ( e que saudades que eu tenho de uns triatlos...). Tenho de preparar o corpo, mas sobretudo a mente para o que ai vêm e sobretudo tomar decisões... sem hesitações ;-).

Abraço.

PS - E isso ficou a 100%?

Anónimo disse...

Amigo Zen

Digamos que ficou a 95% pois fiquei com uma ligeira dormencia no calcanhar direito mas nada que me impeça fazer tudo embora por vezes haja algumas dores mas mto ligeiras,pelo menos quando treino ou em provas nunca tenho dores.
Um abraço
Jorge Carreiras

Zen disse...

Obrigado Jorge

Tomarei em atenção o que me disse.

Bons treinos, boas corridas e tudo o resto.

Abraço

raquel santos disse...

Caro e inesquecível amigo; estive ausente e agora ao regressar, tomei conhecimento das suas preocupações relativas às dores físicas e ao legítimo desalento que o invade.
Peço-lhe que não se deixe abater por estar a passar um momento menos bom da sua vida. O Zé é um homem de forte carácter e personalidade férrea. Essas duas facetas positivas, irão com toda a certeza levantar-lhe a moral.
Força amigo! Olhe em frente o horizonte que sempre o estimulou ; vá fazendo os exercícios que puder e confie na sabedoria dos médicos,
(ainda os há competentes).
As melhoras e um beijo da sempre amiga Raquel ao dispôr.

jose bernardo disse...

Para ficar sem dores, devia fazer Pilates!
Saudações desportivas
Sílvia D.
http://pilates-cascais.blogspot.com/

Arquivo do blogue