terça-feira, julho 31, 2012

VOLTA SALOIA


Tenho um vizinho que há uns meses topando as muitas bicicletas que tenho penduradas na varanda e com a confiança de filhos da mesma idade em comum a frequentar um programa de ocupação de tempos livres, chegou por perto e perguntou-me, " então o senhor é ciclista?! É que eu também dou umas voltas". Custa-me repetir sempre a mesma lenga lenga, tanto que não é o único que inquire, " então, tens andado de bina?", ou ainda quem mais "clinicamente" observa, "epá, essa barriga diz-me que tens faltado aos treinos..."A resposta é mais ou menos a mesma, apenas com ligeiras variações de estilo, até para não parecer que o meu notado sedentarismo é uma fatalidade, um caso sem remédio ou ainda um guião monótono. Para o meu vizinho disse-lhe que sim, que gosto de bicicletas desde pequenino e por isso conservo-as, que vou para o trabalho de vez em quando a pedalar, que já fiz umas coisas engraçadas na vida como Triatlos, Corridas de Aventura, travessias de BTT em caiaque e a nadar, maratonas e ultras de tudo um pouco ( até maratonas de má vida em tempos idos), etc e tal. Que outrora fui um assíduo adepto dos treinos diários e bi-diários, mas que neste momento e vão "prai" dois anos a "máquina emperrou". "Emperrou...assim como?", assim como...acordar e ter pouca vontade para fazer o que considerei até então "uma filosofia de vida", uma saudável rotina, um feliz estado de alma. "Então temos de dar uma volta para dar a volta a isso", disse brincalhão e deu-me o numero de telefone.
Sou um "bicho do mato", a preguiça teima em dormir comigo e por isso levei algum tempo a dar resposta ao simpático gesto. No sábado, talvez "motivado" pelas sucessivas "provocações" da minha filhota, " pai estás gordo mas eu gosto de ti na mesma", lá venci a indiferença, " o amigo Jorge, vai pedalar amanhã?!"
Lá fomos pela fresca, eu com a bicicleta de estrada quase sem uso vai para dois anos, ele com uma BTT adaptada ao alcatrão. A volta foi entre Belém e o cruzamento para o Cabo da Roca, 3h e pouco e 76km feitos, com direito a paragem para um café e um bolinho na Malveira da Serra.  "Entrementes" , uma Estrada Marginal sempre bonita e perigosa para as duas rodas, praias coloridas cheias de veraneantes, cheirinho a mar e férias. Um Guincho ventoso com a Serra de Sintra e o Cabo da Roca ao fundo, um postal eterno deste cantinho bonito cheio de pessoas feias. Trepar para depois descer com "vistas largas" até à Arrábida , sentir-me vivinho da silva na liberdade do pedalar. Que maravilha a "volta saloia"!



2 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Quem me dera saber pedalar assim para poder dar voltas dessas.

E sim, com alguém a desafiar-nos e termos companhia, é um nadinha mais fácil, mas, e tu sabes perfeitamente, a nossa vontade vence tudo, o problema é quando ela anda a meio gás...

Beijinho Zen e toca a mexer em Agosto!

Zen disse...

Olá Ana

Um dia destes combinamos uma "volta saloia", li sobre o teu interesse em andares mais vezes sobre duas rodas. Pois, "isto quando a cabeça não tem juízo o corpo é que paga".
Bem preciso de mexer-me.
Obrigado pelos "mimos".
Beijinhos

Arquivo do blogue