segunda-feira, maio 18, 2009

FIM DE SEMANA EM GRANDE





Depois de uma semana com os totais de 170km de BTT, 50km pedestre e 4,5km de natação, o fim-de-semana seria de "apuro de forma e/ou apuro técnico" com duas competições, um ORI-BTT em Monsanto e uma prova de corrida de montanha na Serra de Sintra.
No sábado, o principal objectivo foi o de aprender mais sobre uma modalidade que continuo a praticar menos do que seria desejável e na qual continuo a cometer muitos erros de palmatória. A prova foi composta de duas mangas, uma de manhã em sequência e outra à tarde em escolha livre, ambas no bonito mapa de Monsanto ( que agradeço ao CPOC para futuros treinos). 
A primeira manga do dia teve um começo idêntico ao de outras provas passadas, parto com a "pica" toda e passado pouco tempo já estou a questionar-me "mas aonde é que eu estou?". Neste caso valeu-me uma gentil colega de prova que apesar de andar perdida, pelos vistos estava mais concentrada no mapa que eu. Recomposto do susto e recolocado no mapa, estive afinadinho até ao 4º CP, altura em que a tentar concentrar-me no meu porta mapas de má qualidade atirei-me para o 6º CP sem fazer o 5º. Percebido o erro antes de "picar" o cp, no entanto na me livrei de tempo precioso até pôr tudo na ordem estabelecida. Mas, logo quando ganhava novo fôlego, mais um imprevisto surgia, a perda da bússola que estava (mal) colada no porta-mapas, sim, o tal de fabrico duvidoso! Não fosse nestes últimos meses em que resido na zona ter feito alguns treinos em Monsanto e a dificuldade para concluir a prova seria maior. Assim no final, consolei-me por não ter feito nenhum "missing point" e por não estar em último antes sim em antepenúltimo.
Eu posso ser um nabo nestas andanças, mas a concorrência é feroz ( desculpa de coxo quando fala do maneta)! A maioria de quem por ali anda faz provas de orientação o ano todo, sejamelas  pedestres de BTT ou corridas de aventura e há vários anos ( eu também mas no máximo 2 ou 3 por ano, isto tirando as CAs nas quais navego muito raramente, sobretudo quando as etapas obrigam a que a equipa faça também orientação individual). Bem, mas dando continuidade ao essencial do relato, referi que a 2º manga era de escolha livre o que significa que o atleta escolhe um percurso no mapa num conjunto aleatória de cps. Este tipo de mapa tem por fim apurar os que com melhor capacidade de interpretação dos mapas de orientação, escolhem no percurso as "melhores opções". Ganha quem pedala bem, mas sobretudo ganha quem entra bem dentro do mapa. As minhas opções foram o oposto destas, em vez de começar como a grande maioria o percurso pela esquerda, escolhi a direita. Para além da teimosia em "ser diferente" (confesso que foi um bocadinho de propósito), perdi o resto dos alfinentes que ainda me iam permitindo acompanhar o percurso sem estar a fazer um esforço permanente de focagem do mapa ( continuava sem bússola). A isto somei ainda um erro no percurso que me fez perder cerca de um a inventar um trilho inexistente, negociei pelo telemóvel uma casa que tenho em venda,  e "pastei" 15m à procura de uma baliza que foi vítima ( é nós também) da maldade de um qualquer bipede com personalidade de quadrúpede que certamente a roubou. Baliza que procurei insistentemente num perímetro demasiado alargado ( falta de esperiência em decidir que efectivamente ela não estava mesmo lá). O resultado deste "mix" de ocorrências, foi o 13º e a penúltima posição ( um acima do último e 8 acima dos desistentes e desclassificados). Nada mau! Aprendi bastante e certamente que a próxima prova será ainda melhor. Claro se tambémme decidir a comprar um porta-mapas de jeito e uma bússola que não voe a meio das provas.

13km do Guincho

No domingo levantei-me com a impressão que me ia doer as canetas  do dia anterior. Seria por isso melhor correr em ritmo de treino, ou seja nas calmas apreciando a bela paisagem do local. 
Cheguei cedo como gosto, aqueci bem, cumprimentei os ilustres conhecidos e entrei feliz dentro da festa ( gosto das boas vibrações deste tipo de corridas). Já sabia que o percurso ia ser diferente da edição de 2007, a última que fiz, o que não sabia era que este seria mais rápido e também ( é a minha opinião) mais bonito. Numa zona em que já existem bastantes obstáculos que vão limitando os bonitos trilhos da região, a organização soube encontrar soluções criativas que muito agradaram. Exemplos, o correr dentro da seca ribeira do Guincho, passar por um túnel de 50mts iluminado com tochas, atravessar o todo o areal da praia do Guincho e reencontrar os trilhos das edições anteriores, estes igualmente fantásticos, foram belos "retratos".
Quanto ao meu desempenho, fiz os primeiros 1000mts "a ver o que é que isto dá" e depois a sentir-me bem, "assapei" para ir ultrapassando muita e boa gente nestas andanças. Na parte mais difícil, o acesso ao Cabeço do Vento, a subida não deixava ninguém correr ( era de bater com o nariz no chão), foi o único momento em que andei, depois foi sempre a "rasgar pano" até á meta para 1h03m, 60º na geral ( entre 227 concorrentes) e 11º V2 ( falhei uma medalhita por um lugar). Nada mau, estou próximo da melhor forma da época, vamos ver se a tenho no "ponto" daqui a 1mês para o campeonato nacional das CA´s no Gerês.
Esta semana será de recuperação e no próximo fim-de-semana a dose será uma maratona de BTT ali para os lados da Arrábida, "arriba"!

2 comentários:

Espanhol disse...

Muito Bom Zen...
Esses motores estão a ficar cada vez mais afinados.
Continuação de bons treinos...

Abraços.
Velez

Zen disse...

Grande Velez

Obrigado!

Afinados, mas com algumas folgas.

É da quilometragem.

Bons treinos para ti também.

Abraço

Arquivo do blogue