quarta-feira, novembro 27, 2013

[O Homem da Maratona] PASSEIO NOCTURNO ( PARTE I) - 2006

Posted by Zen to O Homem da Maratona at 10/01/2006 03:01:00 PM

( FOTO DE FAMÍLIA)

o foi um dia fácil. Como são afinal muitos dias da nossa vida. Mas neste podemos usar uma velha frase também rebuscada ao estilo do cinema hollywoodesco: “ tudo está bem quando acaba bem” (mesmo que antes, tudo tenha sido um desfile de desgraças absurdas). No entanto este “happy end” tardou em revelar-se, isto porque uns dias antes já tinha decidido que seria melhor não realizar o passeio antecipando as previsões de chuva para esse dia o que a acontecer tornaria o percurso perigoso pois parte deste tinha rocha e a mesma tornar-se-ia escorregadia quando molhada aumentando a probalidade de acidentes, sobretudo nos caminheiros mais inexperientes. A agravar este facto, ainda com uma ténue esperança de que as coisas melhorassem e que à última hora pudesse telefonar aos que estavam mais próximos para irmos “arejar” a cabeça para a Serra, o dia começou “cinzento” mas em disposições humanas: uma familiar doente, idas ao hospital e cansaço acumulado também por uma noite mal dormida. Pela tarde, aquilo que de manhã parecia “um grande problema de saúde”, passou a ser um “mal menor”, mas o meu dia já estava sentenciado: seria uma sexta-feira enfadonha a treinar o fastidioso “zapping” e um "chichi cama" em grande estilo rotineiro o que aliás até precisava.
Mas o telefone tocou, eu atendi ( o que nem sempre faço quando estou estoirado) e do outro lado estava a minha sobrinha Carla desgostosa a dizer que os amigos tinham lido a mensagem do e-mail que lhe mandara acerca da anulação do passeio, que eles tinham ficado muito tristes pois já tinham preparado o “equipamento” (esta geração é assim, aperalta-se sempre bem para as ocasiões) e que com chuva ou sem ela adorariam caminhar comigo na Serra. Ela perante o coro de todas estas "reclamações", disse-lhes: “ está bem, vou dar a volta ao meu Tio” e deu. Eu ainda lhe respondi“ Carla, estou cansado" e aqui fiz uma pausa para pensar no sentido mais implícito do pedido daminha sobrinha " mas...como gosto de pessoas com esse espírito aventureiro, venham ter comigo às 9h30 aqui ao pé de casa”, não queria dizer-lhe que os tios condescendem sempre aos pedidos das sobrinhas aflitas. Espreitei os canais de metereologia na internet e os mesmos mantinham as previsões que já conhecia, se bem que tal como no "Cabo das Tormentas" a "borrasca" aqui era mais intensa acima do Cabo da Roca e "dobrando-o" tudo era mais calmo, se bem que também incerto. Bem e lá parti para a "I Caminhada Zen & Companhia" que com os atrasos (como eu os detesto) começou pelas 10h45 sem que antes se fizessem as apresentações da praxe ,(más) fotografias de "família", abastecimento e recomendações do guia: “ não sair dos trilhos marcados”, “não deitar lixo no chão”, “não se separar do grupo”, “fazer pouco barulho”, pois o passeio era nocturno e mais uma série de recados que se devem dar nestas circunstâncias, úteis aos caminheiros e os quais a natureza também agradece.Reparei que o grupo estava animado o que indicava que a noite prometia ser de divertimento.Para rematar a palestra ainda perguntei: “ alguém tem experiência de caminhada”? Resposta: toda a gente! Fiquei surpreendido,e, mais fiquei quando no grupo uma simpática menina ( no alto dos seus 30 anos) de nome Cátia me disse modestamente já ter feito “uns trilhos” no Nepal,nos Picos da Europa, no Gerês e que este ano ainda daria um "salto" à Serra de Gredos com os mesmos propósitos: caminhar. Fascinado que sou pelos relatos orais dos viajantes (as imagens para mim não são tudo) e por histórias de montanha, elegi a Cátia como companhia privilegiada sem contudo esquecer a atenção a dar ao restante grupo que exigia um guia experiente para tãoexperientes participantes...(continua)


EU E A "TREKKER" DO NEPAL


--
Posted by Zen to O Homem da Maratona at 10/01/2006 03:01:00 PM

Sem comentários:

Arquivo do blogue