Avançar para o conteúdo principal

[O Homem da Maratona] AS PERGUNTAS... - 2007

"Up and down" a vida é um carrossel ;-)! Em 2007 continuava a comprar bilhetes ( como, e felizmente, no presente)...



Acordei a pensar que me falta qualquer coisa de outros tempos. Dos tempos em que acordava às 6h da manhã para treinar fizesse sol, chuva, vento, frio ou calor. Dos tempos em que em Fevereiro ainda com a maioria dos mortais a bater o dente ia nadar para a Lagoa de Albufeira, dos "tais" em que cumpria quase “religiosamente” a fórmula 2x3x3 (dois treinos de natação, três corrida, três ciclismo) e me sentia capaz de enfrentar qualquer desafio desportivo da época com confiança. Dos "idos", em que comprava revistas, consumia livros da especialidade, pedia ou fazia planos de treino ( atenção que não possuo habilitações para tal, apenas para delinear os aspectos gerais do treino), fazia uma alimentação mais cuidada com idas regulares ao médico e por ai fora... Desde que fiz paragens mais longas (por diversos motivos mas nenhuma delas agora à distância do tempo me parece suficientemente plausível que justificasse tamanha inactividade) é que comecei a ter mais lesões e problemas de saúde frequentes. Até aí, uma lesãozita tratada a gelo ou um crise alérgica na Primavera e pouco mais! Algum cansaço é certo, períodos de maior e menor motivação ou impedimento, mas nunca como de 2003 para cá. A partir desse ano, reconhecendo que PDI pode ter também alguma influência ( 37 anos), nunca mais fui o mesmo. Falta-me agora e por isso, mais que tempo, saúde, capacidade física e sobretudo, determinação!
Interrogo-me acerca do que estará na raiz de tudo isto. Encontro algumas respostas mas não consigo uma que explique o porquê de não levar à letra a minha "velha" crença, afirmada muitas vezes dificilmente ante um exército de descrentes ( alguns já os vejo de calções de lycra, os mariconsos) e ouvir aquele eco interior que me ressoava todo o dia:  “isto sou eu, esta é a minha espiritualidade, esta é a minha demonstração de amor pela vida”, porquê?. Um destes dias estava a nadar no universitário e reparo que na pista ao lado está um nadador que pela determinação que punha no treino e pelos abastecimentos na borda da piscina, que consumia a espaços, devia estar a fazer um treino longo de natação, talvez treinar para um Ironman, uma travessia, não sei ao certo. O que sei é que já lá estava e que por lá continuou quando eu saí. Este atleta sem saber, foi inesperadamente protagonista dos meus pensamentos, acerca dos ingredientes para a motivação. Fez-me por isso recordar um livro que o meu irmão me emprestou há uns anos atrás quando comecei a fazer triatlo e que durante algum tempo li com prazer, com o título: “ The Bible of Triathlon”. Um verdadeiro “guia espiritual”, sobretudo pela forma como narrava "história mítica" do triatlo e do protagonismo dos seus "deuses fundadores", mas também  porque ensinava quais os ingredientes decisivos do treino e competição para esta fantástica multidisciplina! Vem, como não podia deixar de ser do outro lado do atlântico os EUA e que agora ao procurar no “google” apareceu em muitas línguas, menos em português. Juntando esta leitura ao visionamento das muitas cassetes que gravei no “Eurosport” de Triatlo e Duatlo em meados de 90 e às preciosidades do Ironman do Hawai que igualmente copiava uma vez por ano, eu era um verdadeiro crente! Avé deuses de Kilauea!
O que é que se passou desde então?
Como disse procuro ainda grande parte das respostas.
Ou será que necessito destas?
Talvez mais de perguntas...


Esta semana, comecei a melhorar da gripe e na quinta-feira fiz marcha nórdica, correr estava fora de questão, encontrava-me muito fraco. Mas esta actividade em subidas e descidas é um excelente treino que aconselho vivamente, trekkar :-). Ontem nadei, hoje conto correr e amanhã pedalar, Domingo 20km Cascais. Esfrego entretanto as mãos para o treino de 34Km no dia 25 com a malta do “Mundo da Corrida”.
Qua. 1.10 marcha
Qui. 45m ( crawll e costas com barbatanas)


--
Posted By Zen to O Homem da Maratona at 2/16/2007 07:04:00 AM

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SE CÁ NEVASSE FAZIA-SE CÁ SKI

Zé Neves a fazer SKU desde 2010 (sempre a descer)!

Salada de frutas - Se cá nevasse fazia-se cá ski
"Sebastião cá voltasse
Se a moleza se cansasse
Se o Eusébio 'inda jogasse
Ai que fintas que ele faria um dia...
Se o imposto não subisse
Se o emprego não fugisse
Se o presidente sorrisse
Outro galo cantaria um dia...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se...

Há sempre um "se" no caminho
Que me deixa as mãos tão presas
Se eu cortasse o "se" daninho
Talvez me livrasse das incertezas...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se..."

MERGULHO DE ANO NOVO 2016

Mais um ano se foi e outro começa. Que tenha mais dias felizes que 2015! Afectos, projectos, aventuras e claro, muito desporto! Hoje em Sesimbra, num dia de chuva, sem frio e com o mar a 14º fomos 13 os que decidiram "renovar-se" para 2016 com um mergulho de mar. Destes, 5 valentes entre 3 e os 13 anos experimentaram as águas agitadas da Praia do Ouro, a Laurinha ( na foto em baixo) a mais jovem do grupo, ficou-se por um "lava pés". Um ano desportivo a todos os seguidores do "Trilhos"

ALMOUROL 2014

Descobri este texto nas "memórias do facebook", acho que não o postei aqui. Os tempos agora são muito diferentes. Tenho uma hérnia discal, estou de baixa há mais de um mês e não treino vai para muito tempo. A operação cirúrgica está eminente e estas actividades, de maior impacto como o Trail, farão inevitavelmente parte do passado. Recordemo-lo...
José Neves8 de Abril de 2014 "Nada de fotografias por favor", o gesto e a expressão pouco amigáveis, parecem o de uma vedeta surpreendida por um paparazzi indiscreto. Não foi nada disso, em legenda, caso não tenham reparado está escrito: " qualquer semelhança com a realidade é pura ficção". A outra "realidade" é que no momento desta fotografia estava certamente no primeiro terço do pelotão usando a minha habitual estratégia de "trás para a frente, a mesma "ficção" foi achar que podia durante 44km manter-me assim. Trocando isto por "miúdos": a partir dos 30km "dei o…