Avançar para o conteúdo principal

[O Homem da Maratona] BANDEIRA QUAL BANDEIRA? 2006

Escrevia eu no "Homem da Maratona" em 2006 a propósito de "futebóis" e "orgulhos pátrios"...

Posted by Zen to O Homem da Maratona at 6/01/2006 07:54:00 AM


Há uns dias atrás o seleccionador nacional de futebol pedia a todos os portugueses para pendurarem bandeiras nacionais em apoio à nossa ( sua) "equipa das quinas". Habituados à retórica de um discurso nacionalista através do futebol, com a sua saga dos "heróis" ricos, mimados e alguns mal educados, os portugueses lá vão pondo as ditas bandeirinhas na fé patriótica que sonha a  conquista do mundo pela bola redonda, talvez a mesma "vã glória" que provocou desastre de Alcacér Quibir no séc XVI e que, talvez, na actualidade anuncie outros desastres colectivos.
O futebol é um "eucalipto" que seca mais ainda o nosso já "ressequido" país, sorvendo por ano milhões de euros ( das contribuições em forma de impostos e outras). Dinheiro este que serviria para fazer muitas coisas, ou ainda para não fazer outras, como por exemplo extinguir algumas instituições de enorme utilidade para o apoio social às populações com o pretexto que é necessário equilibrar o défice outrora engordado pela "megalomania" dos estádios do euro 2004 e outras "gulas" ( passadas e actuais) de alguns "notáveis" dirigentes de Portugal.
O subdesenvolvimento desportivo português é evidente e observa-se pela qualidade das suas infra-estruturas, pelos apoios, pela mentalidade, pela formação e pelos resultados internos e externos (salvo algumas muito esforçadas acções). Neste contexto, o "novo-riquismo" do futebol contrasta, quer pela faustosa exibição de meios, quer pela pública exibição de apoios e ainda pela mediatização incessante dos seus resultados, alguns deles insignificantes por comparação com os de outras modalidades.
A exemplo do que escrevi no parágrafo anterior, temos a terra aonde resido há 39 anos, o Barreiro. Neste subúrbio cheio de novas (e antigas) chagas sociais, com uma população jovem que seria necessário rentabilizar para que pudessem ser um seguro investimento no futuro de Portugal, prosa esta que agora tanto se apregoa servindo de bandeira a " novas" ( mas velhas) demagogias do poder, existe uma só piscina construída durante os anos 70 para servir aproximadamente 80.000 pessoas as outras infra-estruturas, ou estão fechadas a cadeado ou então são com dinheiros públicos, rentabilizadas por particulares.
o quero carpir aqui todas as minhas angústias de ser português, penso que se tornaria enfadonho para quem quisesse ler ( se ainda o está a fazer nesta altura do texto), no entanto quero aqui afirmar publicamente que não colocarei a bonita bandeira portuguesa na minha janela para apoiar uma selecção de futebol. A única bandeira adoptada por Portugal nestes tempos, foi a que coloquei no início desta mensagem, mas esta juro-vos que não é a do meu "país"!

Posted by Zen to O Homem da Maratona at 6/01/2006 07:54:00 AM

Comentários

Mensagens populares deste blogue

MEMÓRIAS DA SERRA DA CARREGUEIRA

( Legendo só a última fotografia - este era um tanque de água próximo do quartel onde vínhamos tomar banho no verão na esperança de vermos também umas miúdas que por lá apareciam de vez em quando)

Por vezes basta uma palavra, um encontro com uma pessoa ou o regresso a um lugar, para que a memória se abra como um livro e revele parte da história da nossa vida que afinal, ao contrário do pensamos, ainda está bem viva em nós. Foi o que me aconteceu esta semana com o convite do Luis Miguel para um treino na Serra da Carregueira - Sintra, local onde há 27 anos atrás, estive às ordens do Estado pelo período de 16 meses a cumprir o então "serviço militar obrigatório". Chamava-se na altura "Regimento de Infantaria nº 1", que incluía um dos chamados "Batalhões operacionais de primeira linha" do Exército português, o que significava, homens prontos para uma eventual intervenção militar imediata, isto apesar da guerra colonial ter acabado na altura havia 12 anos e …

NÃO HÁ ALMOÇOS GRÁTIS

Finisher na Maratona de Lisboa 2007
(Fotodesporto)
Depois de duas consultas no CMD ( Centro de Medicina Desportiva) com RX´s e ressonâncias na mão e algumas horas de espera, sou recambiado para uma consulta no Hospital da Cuf com o argumento de que o meu problema era "complexo". Habituado às "complexidades" da vida e sobretudo a perceber como estas alimentam as diferenças de poder e "afirmam" crenças, neste caso de que todas as opiniões médicas são prescritivas ( entre outras opiniões de "especialistas"), pensei, "já vou ficar a arder com mais uns tostões". Mas fui, não fujo ao grupo dos "crentes", mesmo que tenha consciência dos dogmas de uma ciência quase transformada em religião, e confesso que os referidos especialistas são para mim ( e para mais) uma espécie de pastores evangélicos que nos libertam sempre um "aleluia", afinal, algo existe além desta enfadonha ignorância quotidiana na qual a maioria de nós chaf…

SE CÁ NEVASSE FAZIA-SE CÁ SKI

Zé Neves a fazer SKU desde 2010 (sempre a descer)!

Salada de frutas - Se cá nevasse fazia-se cá ski
"Sebastião cá voltasse
Se a moleza se cansasse
Se o Eusébio 'inda jogasse
Ai que fintas que ele faria um dia...
Se o imposto não subisse
Se o emprego não fugisse
Se o presidente sorrisse
Outro galo cantaria um dia...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se...

Há sempre um "se" no caminho
Que me deixa as mãos tão presas
Se eu cortasse o "se" daninho
Talvez me livrasse das incertezas...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se..."