segunda-feira, setembro 23, 2013

RELIGIOSIDADES II


Não sou muito dado a metafisicas, muito menos a milagres que se confundem com alucinações provocadas pela doença mental, drogas ou pela fé de braço dado com a fome ( e o ano de 1917 teve isso e muito mais de desorientação colectiva), mas respeito, sobretudo quando a crença divina move a vontade terrestre de nos tornarmos melhores, para nós e sobretudo para os outros.
Não sei se foi isso, se no fundo, como tantas vezes afirmo, foi o meu lado estupidamente crédulo, aquele que me obriga a dizer que sou um "agnóstico positivista" sem fé e justificação nenhuma, mas no ano de 1999, data de profundas e positivas alterações pessoais, "prometi" que iria a Fátima a pé ou de bicicleta. Nunca cumpri. Nesse ano, em vez de ir ao referido lugar sagrado, subi a Serra da Estrela a pé e lá no alto da Torre negociei com o altíssimo ( nas alturas negoceia-se mais próximo dele e eu também sou um bocado surdo) uma permuta entre aquele magnífico ( e divino) lugar e o que fica na "Cova de Iría". Parece não ter sido aceite, desde então a "balança" entre as boas graças e as desgraças mantêm-se desequilibrada, o que me leva a pensar que afinal tenho mesmo de cumprir a promessa, não vá um raio cair-me na cabeça um dia destes, acho que já esgotei a benevolência dos castigos divinos mundanos, a partir daqui vai ser a "sério".
Desta vez ( lagarto, lagarto, lagarto) vou a Fátima dia 5 de Outubro! Das outras vezes ou baldei-me ou, como no ano passado já com tudo combinado para a dita peregrinação, fui impedido por causa de uma súbita e sofrida microcirurgia no sítio que me permitia ir sentado no selim de bicicleta ( as demonstrações de fé têm limites, pedalar de pé 160km, seria como ir de joelhos, livra-te!)
E já agora, desculpa lá ó Nepturno, mas a 11ª Travessia de Sesimbra em natação fica para o ano, o monoteísmo católico e a sua "hierarquia familiar" persuasiva,  ganhou a corrida das "religiosidades". Bem, além disso, as Marias, a minha mãe, a  mãe da minha princesa e companheira ( aquela que eu beatifico para sempre, mesmo que me ponha as malas à porta) e a Maria das paixões eternizadas e amores incompletos, merecem as minhas mais devotadas reverências! Avé Marias!

PS - Eu disse que era um homem pouco dado a transcendências?! Como toda esta mensagem pareço antes ser dado a "ambivalências" ( o que acho ser muito humano), prova disso é o título deste blogue.

2 comentários:

Lénia disse...

Então, boa viagem! Se pudesse, ia também! Há muito que anseio por uma longa viagem de bicicleta.

Boas pedaladas!

Zen disse...

Obrigado Lénia

Então não é que acabei de saber que a "organização" baldou-se! Se tivesse GPS ia sozinho ( é que farei em breve). 1ª forma, inscrevi-me na Travessia de Sesimbra :-) Sim, tb me apetece muito fazer ciclismo de "longo curso", mas para já não posso. Bons treinos ai para o Algarve. Beijinhos

Arquivo do blogue