Avançar para o conteúdo principal

FIM DE SEMANA EM CHEIO








As redes sociais, a par do renascimento e/ou aumento do fenómeno popular da corrida ( e da prática desportiva em geral em Portugal), trouxeram nestes últimos tempos um aspecto curioso que considero positivo e que julgo contrariar de certa forma a tendência moderna da insularização do individuo, de um narcisismo exacerbado ou ainda da exibição pública da intimidade, reduzindo o reduto da identidade individual e das relação afectivas ( que se tornam mais fluídas), que é a criação de grupos informais de corredores que combinam treinos em conjunto no "espaço virtual". Não há uma condição objectiva para admissão a estes grupos  ( se bem que as podemos discernir essa condição nas intersubjectividades), basta partilhar o mesmo interesse, que neste caso é correr e aparecer no local e hora combinados, de preferência com um petisco e umas cervejas para dar no final ao treino a dimensão maior de "convívio", reforçando laços em redor de uma mesa imaginária.
É sobretudo no Facebook que podemos encontrar a maioria destes "grupos informais" de corredores que desde a madrugada, hora a que muitos podem treinar antes de ir para o trabalho, noite dentro (como será o caso do treino onde irei participar hoje), durante a semana e no seu final, combinam correr em conjunto celebrando o seu "estilo de vida" e existência em sociedade. Os locais são diversos, vão desde as ruas e passeios das cidades, até aos parques, matas, serras e praias, todos os espaços são palcos privilegiados para desfrutar do prazer que é correr e, como referi, contrariar a tal "individualização" pela proximidade que assim passa de virtual, a física, adquirindo uma dimensão mais "humana".
Os Portugal Running são um destes grupos e têm sido com os seus membros que tenho treinado nos últimos tempos, retomado lentamente a boa condição física e o prazer da prática desportiva além de "níveis saudáveis" de socialização :-)
Um dos bons momentos que nos últimos meses a companhia deste grupo me proporcionou, foi o treino do passado  fim-de-semana nas arribas de Sintra! Com partida da Praia da Adraga, local de explorações na minha infância durante as caminhadas a pé promovidas pela colónia de férias dos trabalhadores da Cuf em Colares, local onde passava parte das férias de verão, passando pelo já muito conhecido Cabo da Roca, os ainda inexplorados trilhos além deste na direcção do Guincho, a conhecida e dura subida até à Peninha, a descida vertiginosa para Colares continuada até ao local de partida, este foi um daqueles momentos que ficam registados para a "posteridade", pela beleza da paisagem mas também pelo desafio técnico e físico e claro pelo saudável convívio. Bendito "Facebook" e mentores dos Portugal Running, obrigado!

No domingo, marcação do percurso do "Trail do Espichel", prova que se irá realizar no próximo fim-de-semana no bonito espaço do Cabo Espichel, organizada pelo GDU Azóia, um grupo "formal" ( Clube) que têm responsabilidades acrescidas na comunidade e que neste momento difícil para a existência dos movimentos associativos, tão importantes para a cidadania e afirmação de estilos de vida saudáveis, necessita de galvanizar pessoas e meios para que muitos jovens em idade escolar continuem a beneficiem do contacto com a prática desportiva, nomeadamente a Orientação ( principal secção do clube).

Dois dias magníficos de sol e bonitos espaços entre o Cabo da Roca e o do Espichel. Um fim-de-semana em cheio!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

MEMÓRIAS DA SERRA DA CARREGUEIRA

( Legendo só a última fotografia - este era um tanque de água próximo do quartel onde vínhamos tomar banho no verão na esperança de vermos também umas miúdas que por lá apareciam de vez em quando)

Por vezes basta uma palavra, um encontro com uma pessoa ou o regresso a um lugar, para que a memória se abra como um livro e revele parte da história da nossa vida que afinal, ao contrário do pensamos, ainda está bem viva em nós. Foi o que me aconteceu esta semana com o convite do Luis Miguel para um treino na Serra da Carregueira - Sintra, local onde há 27 anos atrás, estive às ordens do Estado pelo período de 16 meses a cumprir o então "serviço militar obrigatório". Chamava-se na altura "Regimento de Infantaria nº 1", que incluía um dos chamados "Batalhões operacionais de primeira linha" do Exército português, o que significava, homens prontos para uma eventual intervenção militar imediata, isto apesar da guerra colonial ter acabado na altura havia 12 anos e …

NÃO HÁ ALMOÇOS GRÁTIS

Finisher na Maratona de Lisboa 2007
(Fotodesporto)
Depois de duas consultas no CMD ( Centro de Medicina Desportiva) com RX´s e ressonâncias na mão e algumas horas de espera, sou recambiado para uma consulta no Hospital da Cuf com o argumento de que o meu problema era "complexo". Habituado às "complexidades" da vida e sobretudo a perceber como estas alimentam as diferenças de poder e "afirmam" crenças, neste caso de que todas as opiniões médicas são prescritivas ( entre outras opiniões de "especialistas"), pensei, "já vou ficar a arder com mais uns tostões". Mas fui, não fujo ao grupo dos "crentes", mesmo que tenha consciência dos dogmas de uma ciência quase transformada em religião, e confesso que os referidos especialistas são para mim ( e para mais) uma espécie de pastores evangélicos que nos libertam sempre um "aleluia", afinal, algo existe além desta enfadonha ignorância quotidiana na qual a maioria de nós chaf…

SE CÁ NEVASSE FAZIA-SE CÁ SKI

Zé Neves a fazer SKU desde 2010 (sempre a descer)!

Salada de frutas - Se cá nevasse fazia-se cá ski
"Sebastião cá voltasse
Se a moleza se cansasse
Se o Eusébio 'inda jogasse
Ai que fintas que ele faria um dia...
Se o imposto não subisse
Se o emprego não fugisse
Se o presidente sorrisse
Outro galo cantaria um dia...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se...

Há sempre um "se" no caminho
Que me deixa as mãos tão presas
Se eu cortasse o "se" daninho
Talvez me livrasse das incertezas...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se cá ski...
Se cá nevasse fazia-se...fazia-se..."