segunda-feira, dezembro 30, 2013

[O Homem da Maratona] RUMO AO ULTRATRAIL CAMINHOS DE SANTIAGO : FALTAM 100 DIAS -2007

Em 2007 faltavam 100 dias para a realização da 1ª edição dos Caminhos de Santiago Trail Aventura ( Ponte de Lima- Santiago de Compostela).
Hoje (DEZ 2013) mudava algumas partes deste texto escrito então no blogue "O Homem da Maratona", mas não o faço pela fidelidade à história pessoal. Fica o original" assinalando o continuo processo de evolução da minha visão sobre a realidade.



Título: Monte Castro-Subida do Cacheiro- etapa entre Redondela e Pontevedra, aproximadamente no km 100 do percurso.
Autor: José Moutinho


Dou uma vista de olhos ao contador regressivo aqui do blog e reparo que faltam 100 dias para a grande aventura do ano: o Caminho de Santiado Trail Aventura. 100 dias de treinos e expectativas, 100 dias de imaginação dos pequenos pormenores, como a compra de ténis adequados para o percurso, a mochila, os abastecimentos, a dúvida se levarei os "bastões" de caminhada, a roupa a viagem e um sem numero de coisas que me ocupam a mente dia após dia. Costumo dizer: "se tivesse começado nisto aos 20 anos, a minha vida hoje seria totalmente diferente" é que adoro aventura, adoro correr e estar em natureza! Mas não foi, foi aos 30, já condicionado por muitas decisões tomadas anos antes na escolha do "percurso" e que no presente limitam a liberdade de poder ir quando e onde me apetece, ainda assim, liberdade.
A vida é um pouco parecida com a actividade de "Orientação", um tipo tem um mapa após o nascimento que se vai construindo há medida da experiência que vamos tendo na descoberta do mundo, os nossos pais e a sociedade assinalam as "balizas", criam a legenda com os “obstáculos” e outras “referências no terreno”, nós os resto ( as cores os relevos e outros pormenores). Por vezes, as referidas balizas estão em terrenos íngremes, com silvas ou inacessíveis para alguns, pela sua condição física, mental, social, sem que os "traçadores de percursos” ( ou mesmo nós que também desenhamos o mapa por vezes grosseiramente) tomassem isso em conta. No entanto, um dos instrumentos mais importantes da orientação, temo-lo nós: a bússola (não me perguntem como é que ela me veio parar às mãos, mas desconfio que será por força da minha condição de ser vivo com consciência:-). Este objecto que nos orienta grande parte da vida, também se avaria por diversos motivos, a maioria deles internos, mas também por interferência de externos. Sem bússola (ou com ela temporariamente avariada) estamos desorientados e perguntamos aos que connosco se cruzam durante o percurso: "qual o melhor caminho para alcançar aquela baliza?", uns encolhem os ombros, outros indicam-no erroneamente, outros ainda (raros) oferecem-nos ferramentas para reparar a bússola, dão-nos indicações para melhor funcionarmos com ela mas não nos indicam o caminho, ensinam que somos nós a escolher caminho. Se saltarmos balizas corremos o risco de ser desclassificados, mas podemos sempre voltar atrás nem que seja mais tarde. Com que consequências? Cada sabe das suas. Eu sei das minhas! O certo é que ainda estou em prova apesar do mapa ser difícil e do raio da bússola se avariar de vez em quando. Uma coisa aprendi com todos os “erros”, não há “mapas” fáceis (pudera, uma coisa é o mapa outra é o terreno real). Aprendi igualmente a identificar aqueles que de uma forma ou de outra me ensinam a utilizar as referidas ferramentas quando preciso delas para reparar a minha "bússola" e a saber escolher para onde devo ir e não aqueles que me dizem para onde devo ir (um pequena grande diferença que na orientação é fundamental).

( que raio não há meio de tornar isto um blog 100% desportivo mesmo com metáforas “desportivas” e o tempo para outras coisas vai escasseando…)

Comecei eu nos “100 dias para o Trail”…

Podem ver fotografias e relatos sobre o percurso no “Tópico: Trail, corridas de montanha e ultramaratonas do fórum o mundo da corrida" ( clicando aqui).


--
Posted By Zen to O Homem da Maratona at 1/18/2007 01:42:00 AM

Sem comentários:

Arquivo do blogue